Câncer de pele

• O melanoma se forma nos melanócitos (células da pele que formam o pigmento)

• O carcinoma basocelular se forma nas células basais (células pequenas e redondas na base da camada externa da pele)

• O carcinoma de células escamosas se forma em células escamosas (células planas que formam a superfície da pele)

• O carcinoma neuroendócrino se forma em células neuroendócrinas (células que liberam hormônios em resposta a sinais do sistema nervoso)

A maioria dos cânceres de pele se forma em pessoas mais velhas, em partes do corpo expostas ao sol ou em pessoas com sistema imunológico enfraquecido. A prevenção precoce é fundamental.

Sobre a pele

A pele é o maior órgão do corpo. Ele protege contra calor, luz, ferimentos e infecções. Ajuda a controlar a temperatura corporal. Ele armazena água e gordura. A pele também produz vitamina D.

A pele tem duas camadas principais:

• Epiderme. A epiderme é a camada superior da pele. É principalmente feito de células planas ou escamosas. Sob as células escamosas, na parte mais profunda da epiderme, existem células redondas chamadas células basais. As células chamadas melanócitos constituem o pigmento (cor) encontrado na pele e estão localizadas na parte inferior da epiderme.

• Derme. A derme está sob a epiderme. Ele contém vasos sanguíneos, vasos linfáticos e glândulas. Algumas dessas glândulas produzem suor, o que ajuda a resfriar o corpo. Outras glândulas produzem sebo. O sebo é uma substância oleosa que ajuda a evitar que a pele resseque. O suor e a secreção atingem a superfície da pele através de pequenas aberturas chamadas poros.

Entendendo o câncer de pele

O câncer de pele começa nas células, os blocos de construção que constituem a pele. Normalmente, as células da pele crescem e se dividem para formar novas células. Todos os dias, as células da pele envelhecem e morrem, e novas células tomam seu lugar.

Às vezes, esse processo ordenado dá errado. Novas células se formam quando a pele não precisa delas e as células velhas não morrem quando deveriam. Essas células extras podem formar uma massa de tecido chamada tumor ou tumor.

Tumores ou tumores podem ser benignos ou malignos:

• Tumores benignos não são câncer:

o Os tumores benignos raramente são fatais.

o Geralmente, os tumores benignos podem ser removidos. Eles geralmente não crescem novamente.

o Células de tumores benignos não invadem os tecidos ao seu redor.

o As células de tumores benignos não se espalham para outras partes do corpo.

• Os tumores malignos são câncer:

o Os tumores malignos são geralmente mais sérios do que os tumores benignos. Eles podem ser fatais. No entanto, os dois tipos mais comuns de câncer de pele causam apenas cerca de uma em cada mil mortes por câncer.

o Com frequência, os tumores malignos podem ser removidos. Mas às vezes eles voltam a crescer.

o Células de tumores malignos podem invadir e danificar tecidos e órgãos próximos.

o As células de alguns tumores malignos podem se espalhar para outras partes do corpo. A disseminação do câncer é chamada de metástase.

Os dois tipos mais comuns de câncer de pele são o câncer de células basais e o câncer de células escamosas. Esses cânceres geralmente se formam na cabeça, rosto, pescoço, mãos e braços, mas o câncer de pele pode ocorrer em qualquer lugar.

• O câncer de pele das células basais cresce lentamente. Geralmente ocorre em áreas da pele que foram expostas ao sol. É mais comum no rosto. O câncer de células basais raramente se espalha para outras partes do corpo.

• O câncer de pele de células escamosas também ocorre em partes da pele que foram expostas ao sol. Mas também pode ser em lugares que não estão ao sol. O câncer de células escamosas às vezes se espalha para os gânglios linfáticos e órgãos dentro do corpo.

Se o câncer de pele se espalhar de seu local original para outra parte do corpo, o novo tumor terá o mesmo tipo de células anormais e o mesmo nome como o crescimento primário. Ainda é chamado de câncer de pele.

Quem está em risco?

Os médicos não conseguem explicar por que uma pessoa desenvolve câncer de pele e outra não. Mas a pesquisa mostrou que pessoas com certos fatores de risco têm maior probabilidade do que outras de desenvolver câncer de pele. Isso inclui:

• A radiação ultravioleta (UV) vem do sol, lâmpadas solares, camas de bronzeamento ou cabines de bronzeamento. O risco de câncer de pele de uma pessoa está relacionado à exposição permanente à radiação UV. A maioria dos cânceres de pele aparece depois dos 50 anos, mas o sol danifica a pele desde cedo.

A radiação UV afeta a todos. Mas as pessoas com pele clara, que fica com sardas ou queimaduras com facilidade, correm maior risco. Essas pessoas geralmente têm cabelos ruivos ou loiros e olhos claros. Mas mesmo as pessoas que se bronzeiam podem ter câncer de pele.

Pessoas que vivem em áreas que recebem altos níveis de radiação ultravioleta têm maior risco de câncer de pele. Nos Estados Unidos, as áreas do sul (como Texas e Flórida) recebem mais radiação UV do que as áreas do norte (como Minnesota). Além disso, as pessoas que vivem nas montanhas recebem altos níveis de radiação ultravioleta.

Para ter em mente: a radiação ultravioleta está presente mesmo no tempo frio ou em um dia nublado.

• Cicatrizes ou queimaduras na pele

• Infecção por certos papilomavírus humanos

• Inflamação crônica da pele ou úlceras cutâneas

• Doenças que tornam a pele sensível ao sol, como xeroderma pigmentoso, albinismo e síndrome do nevo basocelular

• Radioterapia

• Condições médicas ou medicamentos que suprimem o sistema imunológico

• História pessoal de um ou mais cânceres de pele

• História familiar de câncer de pele

• A ceratose actínica é um tipo de tumor plano e escamoso na pele. É mais comumente encontrado em áreas expostas ao sol, especialmente no rosto e nas costas das mãos. Os crescimentos podem aparecer como manchas vermelhas ou marrons ásperas na pele. Eles também podem aparecer como rachaduras ou descamação do lábio inferior que não cicatriza. Sem tratamento, um pequeno número desses crescimentos escamosos pode se transformar em câncer de células escamosas.

• A doença de Bowen, um tipo de mancha escamosa ou espessa na pele, pode se transformar em câncer de células escamosas.

Se alguém teve um tipo de câncer de pele diferente do melanoma, o risco de desenvolver outro tipo de câncer pode ser mais do que duplicado, independentemente da idade, etnia ou fatores de estilo de vida, como fumar. Os dois cânceres de pele mais comuns - carcinomas basocelulares e espinocelulares - são freqüentemente descartados como relativamente inofensivos, mas podem servir como um sinal de alerta precoce para câncer de mama, cólon, pulmão, fígado e ovários, entre outros. Outros estudos mostraram uma correlação menor, mas ainda significativa.

Sintomas

A maioria dos cânceres de pele de células basais e escamosas pode ser curada se detectada e tratada precocemente.

Uma alteração na pele é o sinal mais comum de câncer de pele. Pode ser um novo tumor, uma ferida que não cicatriza ou uma alteração em um antigo tumor. Nem todos os cânceres de pele têm a mesma aparência. Alterações na pele a serem observadas:

• Protuberância pequena, lisa, brilhante, pálida ou cerosa

• Protuberância vermelha e firme

• Ferida ou protuberância que sangra ou desenvolve uma crosta ou crosta

• Mancha vermelha plana que é áspera, seca ou escamosa e pode tornar-se coceira ou sensível

• Mancha vermelha ou marrom que é áspera e escamosa

Às vezes, o câncer de pele é doloroso, mas geralmente não é.

Verificar periodicamente se há novos crescimentos ou outras alterações em sua pele é uma boa ideia. Lembre-se de que as mudanças não são um sinal claro de câncer de pele. Ainda assim, você deve relatar quaisquer alterações ao seu médico imediatamente. Pode ser necessário consultar um dermatologista, um médico com treinamento especial no diagnóstico e tratamento de problemas de pele.

Diagnóstico

Se você tiver uma alteração na pele, o médico deve descubra se é devido ao câncer ou a alguma outra causa. Seu médico fará uma biópsia, removendo toda ou parte da área que não parece normal. A amostra vai para um laboratório onde um patologista a verifica no microscópio. A biópsia é a única maneira segura de diagnosticar câncer de pele.

Existem quatro tipos comuns de biópsias de pele:

1. Biópsia por punção - uma ferramenta afiada e oca é usada para remover um círculo de tecido da área anormal.

2. Biópsia incisional - um bisturi é usado para remover parte do tumor.

3. Biópsia excisional - um bisturi é usado para remover todo o tumor e algum tecido ao redor dele.

4. Biópsia de barbear - uma lâmina fina e afiada é usada para raspar o crescimento anormal.

Se a biópsia mostrar que você tem câncer, seu médico precisa saber a extensão (estágio) da doença. Em muito poucos casos, o médico pode verificar seus nódulos linfáticos para determinar o estágio do câncer.

O estágio é baseado em:

* O tamanho do tumor

* A profundidade do crescimento abaixo da camada superior da pele

* Se se espalhou para os gânglios linfáticos próximos ou para outras partes do corpo

Estágios do câncer de pele:

* Estágio 0: o câncer envolve apenas a camada superior da pele. É carcinoma in situ.

* Estágio I: O crescimento é de 2 centímetros de largura (três quartos de polegada) ou menor.

* Estágio II: O crescimento é maior que 2 centímetros de largura (três quartos de polegada).

* Estágio III: O câncer se espalhou abaixo da pele para a cartilagem, músculo, osso ou para os gânglios linfáticos próximos. Não se espalhou para outras partes do corpo.

* Estágio IV: o câncer se espalhou para outras partes do corpo.

Às vezes, todo o câncer é removido durante a biópsia. . Nesses casos, não é necessário mais tratamento. Se você precisar de mais tratamento, seu médico descreverá suas opções.

Tratamento

O tratamento do câncer de pele depende do tipo e estágio da doença, do tamanho e local do tumor, e do seu histórico geral de saúde e médico. Na maioria dos casos, o objetivo do tratamento é remover ou destruir completamente o câncer.

A cirurgia é o tratamento usual para pessoas com câncer de pele. Muitos cânceres de pele podem ser removidos com rapidez e facilidade. Em alguns casos, o médico pode sugerir quimioterapia tópica, terapia fotodinâmica ou radioterapia.

Cirurgia

A cirurgia para tratar o câncer de pele pode ser feita de várias maneiras. O método que seu médico usa depende do tamanho e do local do tumor e de outros fatores.

• A cirurgia excisional da pele é um tratamento comum para remover o câncer de pele. Depois de anestesiar a área, o cirurgião remove o tumor com um bisturi. O cirurgião também remove uma borda da pele ao redor do tumor. Essa pele é a margem. A margem é examinada ao microscópio para ter certeza de que todas as células cancerosas foram removidas. O tamanho da margem depende do tamanho do crescimento.

• A cirurgia de Mohs (também chamada de cirurgia micrográfica de Mohs) é freqüentemente usada para câncer de pele. A área do crescimento está anestesiada. Um cirurgião especialmente treinado remove finas camadas de crescimento. Cada camada é imediatamente examinada ao microscópio. O cirurgião continua a raspar o tecido até que nenhuma célula cancerosa possa ser vista ao microscópio. Dessa forma, o cirurgião pode remover todo o câncer e apenas um pequeno pedaço de tecido saudável.

• Eletrodessecação e curetagem costumam ser usadas para remover pequenos cânceres de pele basocelulares. O médico anestesia a área a ser tratada. O câncer é removido com cureta, uma ferramenta afiada em forma de colher. Uma corrente elétrica é enviada para a área tratada para controlar o sangramento e matar todas as células cancerosas que possam ter sobrado. A eletrodessecação e a curetagem costumam ser um procedimento rápido e simples.

• A criocirurgia costuma ser usada para pessoas que não podem fazer outros tipos de cirurgia. Ele usa frio extremo para tratar câncer de pele muito fina ou em estágio inicial. O nitrogênio líquido cria o frio. O médico aplica nitrogênio líquido diretamente no crescimento da pele. Este tratamento pode causar inchaço. Também pode danificar os nervos, o que pode causar perda de sensibilidade na área danificada.

• A cirurgia a laser usa um feixe estreito de luz para remover ou destruir células cancerosas. É mais frequentemente usado para tumores que estão na camada externa da pele apenas.

Às vezes, são necessários enxertos para fechar uma abertura na pele deixada pela cirurgia. O cirurgião primeiro entorpece e depois remove um pedaço de pele saudável de outra parte do corpo, como a parte superior da coxa. O adesivo é então usado para cobrir a área onde o câncer de pele foi removido. Se você tiver um enxerto de pele, poderá ter que cuidar especialmente da área até que cicatrize.

Pós-operatório

O tempo que leva para cicatrizar após a cirurgia é diferente para cada pessoa. Você pode se sentir desconfortável nos primeiros dias. No entanto, a medicina geralmente pode controlar a dor. Antes da cirurgia, você deve discutir o plano de alívio da dor com seu médico ou enfermeiro. Após a cirurgia, seu médico pode ajustar o plano.

A cirurgia quase sempre deixa algum tipo de cicatriz. O tamanho e a cor da cicatriz dependem do tamanho do câncer, do tipo de cirurgia e de como sua pele cicatriza.

Para qualquer tipo de cirurgia, incluindo enxertos de pele ou cirurgia reconstrutiva, é importante siga o conselho do seu médico sobre tomar banho, fazer a barba, fazer exercícios ou outras atividades.

Quimioterapia tópica

A quimioterapia usa medicamentos anticâncer para matar as células cancerosas da pele. Quando um medicamento é aplicado diretamente na pele, o tratamento é a quimioterapia tópica. É mais frequentemente usado quando o câncer de pele é muito grande para cirurgia. Também é usado quando o médico continua encontrando novos cânceres.

Na maioria das vezes, o medicamento vem em um creme ou loção. Geralmente é aplicado na pele uma ou duas vezes ao dia durante várias semanas. Um medicamento chamado fluorouracil (5-FU) é usado para tratar câncer de células basais e de células escamosas que estão apenas na camada superior da pele. Um medicamento chamado imiquimod também é usado para tratar o câncer de células basais apenas na camada superior da pele.

Esses medicamentos podem fazer com que sua pele fique vermelha ou inche. Também pode coçar, doer, exsudar ou desenvolver erupção na pele. Pode ser dolorido ou sensível ao sol. Essas alterações cutâneas geralmente desaparecem após o término do tratamento. A quimioterapia tópica geralmente não deixa cicatriz. Se a pele saudável ficar muito vermelha ou áspera quando o câncer de pele for tratado, seu médico pode interromper o tratamento.

Terapia fotodinâmica

A terapia fotodinâmica (TFD) usa um produto químico junto com uma luz especial fonte, como uma luz laser, para matar células cancerosas. O produto químico é um agente fotossensibilizador. Um creme é aplicado na pele ou o produto químico é injetado. Permanece nas células cancerosas por mais tempo do que nas células normais. Várias horas ou dias depois, a luz especial está focada no crescimento. O produto químico se torna ativo e destrói as células cancerosas próximas.

A PDT é usada para tratar o câncer na superfície da pele ou muito próximo dela.

Os efeitos colaterais da PDT geralmente não são graves. A PDT pode causar queimação ou dor aguda. Também pode causar queimaduras, inchaço ou vermelhidão. Pode causar cicatrizes no tecido saudável próximo ao crescimento. Se você tiver PDT, você precisará evitar luz solar direta e luz interna forte por pelo menos 6 semanas após o tratamento.

Radioterapia

A radioterapia (também chamada de radioterapia) usa alta raios de energia para matar células cancerosas. Os raios vêm de uma grande máquina fora do corpo. Eles afetam as células apenas na área tratada. Este tratamento é administrado em um hospital ou clínica em uma dose ou muitas doses durante várias semanas.

A radiação não é um tratamento comum para o câncer de pele. Mas pode ser usado para câncer de pele em áreas onde a cirurgia pode ser difícil ou deixar uma cicatriz ruim. Você pode fazer este tratamento se tiver um tumor na pálpebra, ouvido ou nariz. Também pode ser usado se o câncer voltar após a cirurgia para removê-lo.

Os efeitos colaterais dependem principalmente da dose de radiação e da parte do corpo que é tratada. Durante o tratamento, sua pele na área tratada pode ficar vermelha, seca e sensível. Seu médico pode sugerir maneiras de aliviar os efeitos colaterais da radioterapia.

Cuidados de acompanhamento

Os cuidados de acompanhamento após o tratamento do câncer de pele são importantes. Seu médico monitorará sua recuperação e verificará se há novo câncer de pele. Novos cânceres de pele são mais comuns do que a disseminação de um câncer de pele tratado. Os exames regulares ajudam a garantir que quaisquer alterações em sua saúde sejam observadas e tratadas, se necessário. Entre as visitas agendadas, você deve verificar sua pele regularmente. Contate o médico se notar algo incomum. Também é importante seguir o conselho do seu médico sobre como reduzir o risco de desenvolver câncer de pele novamente.

Como fazer um autoexame de pele

Seu médico ou enfermeira podem sugerir que você faz um autoexame de pele regularmente para verificar se há câncer de pele, incluindo melanoma.

A melhor hora para fazer este exame é depois do banho. Você deve verificar sua pele em uma sala com bastante luz. Use um espelho de corpo inteiro e um de mão. É melhor começar aprendendo onde estão suas marcas de nascença, pintas e outras marcas e sua aparência usual.

Verifique se há novidades:

* Nova verruga (que parece diferente de suas outras manchas)

* Nova mancha escamosa de cor vermelha ou mais escura que pode estar um pouco levantada

* Nova protuberância firme da cor da pele

* Mudança no tamanho, formato, cor ou sensação de uma verruga

* Ferida que não cicatriza

Verifique-se da cabeça aos pés. Não se esqueça de verificar suas costas, couro cabeludo, área genital e entre as nádegas.

* Observe seu rosto, pescoço, orelhas e couro cabeludo. Você pode usar um pente ou um secador de cabelo para mover o cabelo para que possa ver melhor. Você também pode pedir a um parente ou amigo que examine seu cabelo. Pode ser difícil verificar seu couro cabeludo sozinho.

* Olhe para a frente e para trás de seu corpo no espelho. Em seguida, levante os braços e olhe para os lados esquerdo e direito.

* Dobre os cotovelos. Observe atentamente as unhas, as palmas das mãos, os antebraços (incluindo a parte inferior) e os braços.

* Examine as costas, a frente e os lados das pernas. Também olhe em volta da sua área genital e entre as nádegas.

* Sente-se e examine atentamente os pés, incluindo as unhas dos pés, as solas dos pés e os espaços entre os dedos.

Ao verificar pele regularmente, você aprenderá o que é normal para você. Pode ser útil registrar as datas de seus exames de pele e fazer anotações sobre a aparência de sua pele. Se o seu médico tirou fotos da sua pele, você pode compará-la com as fotos para ajudar a verificar as alterações. Se você encontrar algo incomum, consulte seu médico.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir o câncer de pele é se proteger do sol. Além disso, proteja as crianças desde tenra idade. Os médicos sugerem que pessoas de todas as idades limitem seu tempo ao sol e evitem outras fontes de radiação ultravioleta:

• É melhor ficar longe do sol do meio-dia (do meio da manhã ao final da tarde) sempre que você posso. Os raios ultravioleta são mais fortes entre 10h00 e 16h00 Você também deve se proteger da radiação ultravioleta refletida pela areia, água, neve e gelo. A radiação ultravioleta pode passar por roupas leves, pára-brisas, janelas e nuvens.

• Use protetor solar todos os dias. Cerca de 80 por cento da exposição solar média ao longo da vida de uma pessoa é acidental. O filtro solar pode ajudar a prevenir o câncer de pele, especialmente o protetor solar de amplo espectro (para filtrar os raios UVB e UVA) com um fator de proteção solar (FPS) de pelo menos 15. Lembre-se também de que você ainda está exposto aos raios UV em dias nublados: Mesmo em um dia escuro e chuvoso, 20 a 30 por cento dos raios UV penetram nas nuvens. Em um dia nublado, 60 a 70 por cento passam e, se estiver apenas nebuloso, quase todos os raios ultravioleta vão chegar até você.

• Aplique protetor solar direito. Primeiro certifique-se de usar o suficiente - uma onça (um copo cheio) para todo o seu corpo. Aplique 30 minutos antes de atingir o sol. Não se esqueça de cobrir os pontos que as pessoas costumam deixar passar: lábios, mãos, orelhas e nariz. Reaplique a cada duas horas - por um dia na praia, você deve usar meia garrafa de 240 ml apenas em você - mas primeiro se enxugue; a água dilui o FPS.

• Use mangas compridas e calças compridas de tecidos bem entrelaçados e cores escuras. Uma camiseta de algodão azul escuro, por exemplo, tem um FPU de 10, enquanto uma branca classifica um 7. Lembre-se de que, se as roupas molharem, a proteção cai pela metade. Escolha um chapéu com aba larga - um que tenha pelo menos 5 a 7,5 cm de largura - e óculos escuros que absorvem os raios ultravioleta. Você também pode experimentar roupas UPF. É tratado com um revestimento especial para ajudar a absorver os raios UVA e UVB. Tal como acontece com o SPF, quanto mais alto o UPF (varia de 15 a 50+), mais ele protege.

• Opte por um par de óculos de sol que são claramente rotulados para bloquear pelo menos 99 por cento dos raios UV ; nem todos fazem. Lentes mais largas protegerão melhor a pele delicada ao redor dos olhos, sem mencionar os próprios olhos (a exposição aos raios ultravioleta pode contribuir para cataratas e perda de visão mais tarde na vida).

• Fique longe de lâmpadas solares e cabines de bronzeamento / p>

• Mexa-se. Pesquisadores da Universidade Rutgers mostraram que ratos ativos desenvolvem menos câncer de pele do que os sedentários, e os especialistas acreditam que o mesmo se aplica a humanos. O exercício fortalece o sistema imunológico, possivelmente ajudando o corpo a se defender melhor contra o câncer.

Comentários (5)

*Estes comentários foram gerados por este site.

  • tatiana becker cyrino
    tatiana becker cyrino

    Otima,estou muito satisfeita.so tenho que agradecer .

  • bebiana n. procurado
    bebiana n. procurado

    Muito bom. Recomendo.

  • serena u. castanheiro
    serena u. castanheiro

    Produto de ótima qualidade.

  • noá diel
    noá diel

    Ótimo custo benefício.

  • zaira broering truppel
    zaira broering truppel

    No dia a dia

Deixe o seu comentário

Ótimo! Agradecemos você por dedicar parte do seu tempo para nos deixar um comentário.